Não desperdice alimentos!

 

institutofeiralivre
Crédito da imagem: Instituto Feira Livre

O que vem em mente quando você lê alguma coisa sobre mudanças climáticas? Acha que o problema está distante de você e só diz respeito à indústria? Já parou para pensar que muito desse papo tem a ver com comida e sobre todo o caminho que o alimento faz para chegar até a ponta do seu garfo? Pode parecer difícil de mensurar, mas dá pra imaginar o quanto de desperdício tem nesse percurso, né?

Qual é o impacto de uma sacola com restos da salada que vai para o lixo frente a outros elementos que contribuem para o aumento dos gases de efeito estufa, como a queima de combustíveis fósseis? Pode parecer pouco, mas nós – eu, você e um monte de gente – estamos desperdiçando muito, em escala global!

institutochao.jpg
Crédito da imagem: Instituto Chão

Como definifo pelo The Climate Lab, o desperdício de comida é, realmente, “o problema mais idiota do mundo”. Mais de um terço de todos os alimentos produzidos globalmente é desperdiçado ou estragado e, lamentavelmente, uma em cada nove pessoas sofre de desnutrição crônica neste planeta.

Segundo dados da FAO, a quantidade de terra dedicada à produção de alimentos desperdiçados seria o segundo maior país do mundo! A questão é: como toda essa terra pode ser usada para produzir alimentos que nunca chegam ao seu destino final?

A boa notícia é que reduzir o desperdício de alimentos é relativamente fácil em nível individual e aqui estão algumas maneiras fáceis de começar:

1. Seja realista sobre a quantidade de alimentos que você consome. Planeje as suas compras e compre o necessário. Vale a regra de ouro: nunca vá ao mercado com fome! Outra dica: faça compras pequenas e frequentes.

2. Não exagere na hora de cozinhar, mas se a receita der para um batalhão, use a criatividade para aproveitar as sobras no famoso SOS (sobras de ontem sortidas). A Rita Lobo pode te ajudar com várias dicas de como remixar o almoço de ontem….

3. Aprenda como armazenar os alimentos corretamente. Soa óbvio? Certifique-se de que você sabe quais frutas e vegetais devem ser armazenados à temperatura ambiente, e que você pode colocar na geladeira ou freezer para que eles durem mais.

4. Reduza o uso de embalagens comprando a granel ou escolhendo produtos soltos. Vai comprar frutas e legumes? Evite o saquinho plástico e coloque-os direto no carrinho. Depois de pesá-los, eles podem ir direto para a sacola de compras, por exemplo…

5. Compostagem: se você quiser ir além, a compostagem transforma restos de comida em ricos nutrientes para a sua horta ou jardim, e mantém os resíduos orgânicos fora dos aterros sanitários. Veja como fazer nessas dicas do site Sempre Família.

6. E por fim, descubra se no seu bairro ou cidade existem programas de doações de alimentos, como o Sesc Mesa Brasil.

 

Anúncios

Alimentos desperdiçados na América Latina poderiam alimentar 37% dos famintos do mundo

desperdicio_alimento_reprodução

Se você acha que o desperdício de alimentos é um problema de países ricos, repense a sua visão! Somente na América Latina, 348 mil toneladas de alimentos são desperdiçados por dia! Esta cifra terá de ser reduzida à metade nos próximos 14 anos se a região quiser alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), firmado na Rio+20 em 2012. O alerta foi feito no dia 30 de março, pela FAO.

O terceiro boletim “Perdas e Desperdícios de Alimentos na América Latina e no Caribe”  destaca o ODS 12, centrado na necessidade de assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis. Este objetivo inclui a meta de reduzir à metade até 2030 o desperdício mundial de alimentos nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento.

Segundo a FAO, 36 milhões de pessoas na região poderiam cobrir suas necessidades calóricas apenas com alimentos perdidos nos pontos de venda diretos aos consumidores. O número representaria pouco mais que a população do Peru (!) e mais do que todas as pessoas que passam fome na região.

A FAO e outras agências parceiras estão atualmente elaborando o Índice Global de Perdas e Desperdícios de Alimentos, que será essencial para que todos os países quantifiquem suas perdas e definam estratégias para alcançar o ODS 12.

De acordo com o boletim, 127 milhões de toneladas de alimentos são a quantidade total de perdas e desperdícios – suficientes para satisfazer as necessidades alimentícias de 300 milhões de pessoas, 37% de todas as pessoas que passam fome no mundo.

Com o apoio da FAO foi estabelecida uma Rede de Especialistas, Estratégia Regional e uma Aliança Regional para a Prevenção e Redução de Perdas e Desperdícios de Alimentos. Em vários países, incluindo o Brasil, já foram criados comitês dedicados ao tema. A iniciativa considera a eliminação das perdas e desperdícios como uma condição fundamental para acabar com a fome até 2025.

.  .  .

+ Com informações da Rádio ONU (Laura Gelbert).
+ Imagem: Divulgação.