Ugly Delicious: comida, reflexão e humor

uglydelicious.png

Há algumas semanas, Ugly Delicious começou a aparecer como sugestão na telinha do Netflix… salvei na “Minha Lista”, mas não dei muita importância. Um dia desses, quase que por instinto naquele mar de opções de séries e filmes, resolvi assistir. E pirei! Pirei muito!

Não tinha ideia do que era a série, muito menos que David Chang, Morgan Neville e Peter Meehan estavam por trás dessa produção altamente criativa e divertida que, claro, gira em torno da comida. A primeira temporada traz oito episódios, cada um com um tema central: Pizza; Tacos; Cozinhando em Casa; Camarão e Lagostim; Churrasco; Frango Frito; Arroz Frito; e Recheadas.

A cada capítulo, Chang, que assume o papel de mestre de cerimônias, vai construindo um grande ensaio sobre comida e cultura na forma de conversas e visitas a diferentes restaurantes em diferentes cidades e países… reunindo chefs, críticos gastronômicos, artistas e pessoas comuns. Parece meio esquizofrênico? Não se preocupe. Pegue na mão do David e deixe ele te conduzir nessa deliciosa narrativa que, como o nome diz, não trata – somente – de alta gastronomia e estrelas Michelin.

O primeiro capítulo, sobre pizza, é arrebatador! O que é pizza nos dias de hoje? A autenticidade da pizza napolitana ainda tem importância? Você sabia que no Japão existem pizzas maravilhosamente incríveis? E a pizza do Domino’s e a relação afetiva que as pessoas têm com ela? Como lidar com a “apropriação cultural” na gastronomia? Adaptar um prato tradicional é desrespeitoso ou inteligente?

ugly delicious

E o baile segue nos capítulos seguintes… depois de assistir ao episódio do churrasco, você descobrirá que o conceito de grelhar no fogo vai muito além da picanha, linguiça e asinha de frango… depois de assistir o do arroz frito, que conta com a editora do Eater-NY, Serena Dai, você nunca mais verá a junk food ou a comida chinesa de raiz com os mesmos olhos…. depois do episódio sobre camarão e lagostim, você vai refletir sobre imigração e o poder da comida como elemento de integração social.

Esta é uma série que capta a beleza singular das mulheres mexicanas ao amassar tortilhas, mas também não hesita em entrar pelo “drive-through” do Taco Bell. Chang reconhece que uma pizza feita com amor no Brooklyn, como a do Lucali, é melhor do que aquela que você vai comprar na Domino’s. Mas ele também reconhece que o gosto da pizza do Domino’s é bom…

massimodavidbig

Muitos programas de TV com chefs famosos são implicitamente orientados para o ego deles, como gênios gastronômicos. Aqui, Chang é só um facilitador e guia que orienta a conversa e divide o prato com com alguns amigos (muito famosos), como Aziz Ansari, Jimmy Kimmel, Steven Yeun, Ali Wong, David Simon, René Redzepi e Gillian Jacobs, entre outros.

Ugly Delicious é uma série impulsionada pelo interesse de Chang, assim como os interesses de outros especialistas, como Meehan, em não apenas provar as porções que são colocadas na frente deles, mas realmente descobrir por que certos tipos de comida são tão pessoais e culturalmente específicas, mesmo quando estão sendo apropriadas e modificadas para atender aos consumidores em um outro país.

primary_Ugly_Delicious_S01E01_42m48s61593f

Estamos falando de um programa altamente informativo, muito divertido e enriquecedor. Resumindo: é uma excelente pedida tanto para gastrônomos que piraram no Chef’s Table quanto para amantes de Big-Mac que não estão muito ligados no debate, mas querem um momento de diversão na telinha…

Se você chegou até aqui e vai se sentar para assistir Ugly Delicious, pelo amor de Deus, faça uns lanches, de preferência relacionados ao tema de cada episódio, para acompanhar a série. Caso contrário, ao final, você vai querer varrer a sua geladeira, ligar para pedir comida ou sair pelas ruas atrás de um restaurante ou mercado.

Para quem já assistiu e ficou curioso, o site Food&Wine fez uma lista com os endereços de todos os restaurantes mostrados na primeira temporada. Divirta-se!

Anúncios

A cara da nova juventude rural

camila

O Instituto Souza Cruz encomendou uma pesquisa sobre os jovens atendidos pelo programa Novos Rurais. Os resultados do estudo destacam a visão dos jovens da zona rural sobre as oportunidades de se empreender no campo e sobre como isso afeta suas perspectivas profissionais e relações sociais.

A pesquisa aponta um novo perfil de juventude rural, que enxerga o campo como um local de oportunidades (92%), o lugar que escolheu para viver (88%) e onde já encontra mais autonomia e espaço para participar da gestão dos negócios familiares (87%).

Visite a página da pesquisa e conheça os resultados

The Perennial Plate: aventuras ecogastronômicas

theperennialplate

Conheci o The Perennial Plate há quase um ano. O link do projeto ficou salvo nos meus favoritos, mas nunca consegui parar para assistir. Eis que saí de férias e resolvi dar uma olhada na lista de links “para ver depois” que só cresce, e me deparei novamente com o link.

The Perennial Plate é uma série online, de minidocumentários publicados semanalmente, dedicada à alimentação saudável, educação do gosto, ecogastronomia e temas afins. Confira um dos vídeos aqui:

Veja todos os vídeos aqui

O projeto foi criado pelo chef e ativista, Daniel Klein, e a cineasta, Mirra Fine. Desde então, a dupla viaja pelo mundo explorando as maravilhas, complexidades e histórias por trás do sistema alimentar global cada vez mais conectado.

theperennialplate2

A primeira temporada ocorreu durante em Minnesota, nos EUA, onde todas as segundas-feiras, durante 52 semanas, a dupla lançou filmes curtos que seguiram as explorações culinárias, agrícolas e de caça de Daniel Klein.

Na segunda temporada, Klein e Fine viajaram por toda a América, levando o espectador a explorar, apreciar e entender de onde vem a boa comida e como apreciá-la. Na temporada atual, Klein e Fine estão rodando o mundo, visitando países como a China, Japão, Índia, Marrocos, Itália, Argentina e África do Sul, entre outros destinos, para contar as histórias de alimentos reais e as pessoas que o conseguem.

Confira algumas imagens:

theperennialplate3

theperennialplate4.jpg

theperennialplate5.jpg

theperennialplate6.jpg

theperennialplate7

Conheça uma agrofloresta de 23 anos!

invitation

Os neozelandeses Robert e Robyn Guyton cultivam uma agrofloresta há 23 anos! O terreno de 8 mil m2  é uma fonte absurda de alimentos e foi idealizada com base em nos princípios da permacultura. As plantas da mata, das pequenas às grandes, fornecem alimentos para pessoas e bichos numa quantidade equilibrada. Conheça a história deles nesse vídeo produzido pelo pessoal da Happen Films.

Professor cria hortas pedagógicas em terrenos abandonados do Bronx

Há alguns anos, o professor Stephen Ritz, que trabalha em uma escola no Bronx, em Nova Iorque, teve uma pequena grande ideia. Ao preparar uma horta, ele  percebeu que esta prática poderia se tornar uma atividade pedagógica simples, mas de grande impacto na vida dos seus alunos.

Stephen-Ritz-Bissel-Gardens-750x410

Em 2009, Ritz e seus alunos montaram uma horta vertical, iluminada por lâmpadas LED. De uma tacada só, ele aplicou conhecimentos de Ciências, Matemática, Tecnologia e Nutrição. Esse foi o pontapé da Green Machine Bronx, um projeto que transformou 100 terrenos baldios da região em hortas e atualmente serve de exemplo para mais um monte de hortas urbanas.

Students-Tower-Gardens

Ritz foi premiado Educador do Ano 2015 da Elementary School – Prêmio Bammy e deu trabalho ganhou destaque em várias plataformas e meios de comunicação, como a palestra do TED compartilhada neste post.

Stephen-Ritz-Home3.jpg

. . .

+ Com informações: Somos Verdes

Ernst Götsch e a Agricultura Sintrópica

ernst.jpg

Você sabe o que é uma agrofloresta? O trabalho que o suíço radicado no Brasil, Ernst Götsch, faz no sul da Bahia é absolutamente impressionante! Ele desenvolve técnicas de recuperação de solos por meio de métodos que impulsionam a regeneração natural das florestas, de forma minimalista e com muita observação e conhecimento.

Hoje, depois de mais de 30 anos de trabalho, 480 hectares de terras degradadas foram recuperadas e Götsch elaborou um conjunto de princípios e técnicas que viabilizam integrar produção de alimentos à dinâmica de regeneração natural das matas, batizado de Agricultura Sintrópica.

Com esta proposta inovadora, Ernst constatou que, além das colheitas abundantes em um solo antes morto, um microclima passou a se desenvolver na fazenda, com 14 nascentes de água recuperadas e uma rica fauna que voltou a povoar a região. Desde então, o modelo de Agricultura Sintrópica tem sido disseminado e adaptado a diferentes regiões e climas.

O belíssimo vídeo abaixo é fruto Projeto Agenda Götsch, a partir do qual dois jornalistas, Dayana Andrade e Felipe Pasini, visitaram a fazenda de Ernst para registrar conceitos, implantações e manejos do agricultor. No site do projeto, exitem outros vídeos que tem como objetivo ajudar produtores de todo o mundo a adotar técnicas agrícolas verdadeiramente sustentáveis.

Vida em Sintropia foi uma edição feita especialmente para ser apresentada em eventos na COP21, realizado em Paris no ano passado, com um compilado de experiências expressivas em Agricultura Sintrópica, em imagens e entrevistas inéditas.

Você conhece o Sustentáculos?

sustentaculo

O que é “sustentabilidade”? E “desenvolvimento sustentável”? Muitas vezes, seja na mesa do bar ou em sala de aula, explicar estes conceitos podem ser tornar verdadeiros desafios didáticos para educadores que trabalham de alguma forma com estes temas.

Uma das principais apostas da Agenda 2030, lançada há um semestre em cúpula da ONU da qual participaram representantes de 193 Estados, é que, ao longo dos próximos 15 anos, todos tenhamos os conhecimentos necessários à promoção de seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). E agora?

É nesse embalo que o Sustentáculos, uma plataforma idealizada por José Eli da Veiga, acaba de ser lançada com o objetivo de facilitar o acesso aos melhores conteúdos, tanto sobre os aspectos mais conceituais quanto sobre cada ODS.

O Sustentáculos está organizado em dois conjuntos: um, mais conceitual, desenrola a questão em oito temas, cada um apresentado por vídeos bem enxutos e diretos, acompanhados de documentos complementares; e o outro é dedicado aos 17 ODS, também acompanhados de vídeos, links e outras referências complementares.

Visita recomendada não só para educadores, mas também para quem tem interesse no tema, principalmente pelos conteúdos complementares. Tem muita coisa boa. Entra lá no Sustentáculos!